noticias Seja bem vindo ao nosso site Rádio Liberdade Carutapera!

Internacional

Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia

Publicada em 15/12/21 às 15:52h - 87 visualizações

por Rádio Liberdade - Carutapera via RFI


Compartilhe
Compartilhar a notícia Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia  Compartilhar a notícia Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia  Compartilhar a notícia Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia

Link da Notícia:

Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia
Vacina sozinha não vai dar conta de controlar a variante ômicron, alerta agência europeia  (Foto: REUTERS - DADO RUVIC)
Uma "ação forte" é "urgente" diante do rápido avanço da variante ômicron, e "a vacinação sozinha não será suficiente", alertou o Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês), nesta quarta-feira (15). A agência europeia declarou que a "vacina sozinha será insuficiente contra a variante ômicron".

"Na atual situação, a vacinação sozinha não permitirá reduzir o impacto da variante ômicron, porque não há tempo para cobrir os déficits de vacinação existentes hoje", declarou a diretora do ECDC, Andrea Ammon, em um comunicado.

A agência europeia também elevou em um grau sua avaliação de risco dessa variante, para um nível "muito alto", e recomendou uma série de medidas. Entre elas, estão o retorno ao trabalho remoto (home office) e mais cautela durante as comemorações e viagens de fim de ano.

Segundo o ECDC, é "muito provável" que a nova variante cause internações e mortes muito além das já previstas nas projeções anteriores concentradas na delta, até então a variante dominante.

Mais restrições
 Para que a carga sobre o sistema de saúde continue sendo "administrável", o ECDC reiterou seu apelo à "reintrodução rápida e ao fortalecimento" das chamadas medidas "não farmacêuticas" contra a Covid-19, um termo que engloba restrições de circulação em geral.

"É urgente que se adotem medidas enérgicas para reduzir a transmissão, diminuir a pesada incidência sobre os sistemas de saúde e proteger os mais vulneráveis nos próximos meses", acrescentou o ECDC, que abrange todos os 27 países da UE, além de Noruega e Islândia.

A variante ômicron se propaga "a uma taxa nunca vista em qualquer outra variante", advertiu ontem a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Diante desse quadro, a agência pediu que todas as ferramentas anticovid disponíveis sejam usadas para evitar que os sistemas de saúde entrem em colapso.

Para o ECDC, usar máscaras, adotar o home-office, evitar locais lotados e o transporte público, ficar em casa quando doente, manter espaços arejados e um alto nível de higiene "continuam sendo uma prioridade".

Para os casos prováveis, ou confirmados, de ômicron, o rastreamento dos contatos também deve ser uma prioridade. Do mesmo modo, os testes também permanecem como "uma ferramenta importante", mesmo quando as pessoas estão vacinadas, assim como o isolamento de todos os casos positivos para a Covid-19.



via AFP



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 98 9 8590 7618

Visitas: 690113
Copyright (c) 2022 - Rádio Liberdade Carutapera - O Portal de Notícias de Carutapera
Converse conosco pelo Whatsapp!